Normas para publicação

Acesso Livre é uma revista em meio digital de periodicidade semestral e que recebe, em suas chamadas para publicação, artigos, ensaios, resenhas, entrevistas e traduções originais e inéditos, que não estejam sendo avaliados para publicação por outra revista. A opção pela divulgação em formato digital é motivada pela facilidade de acesso e visibilidade de seu conteúdo, dedicado às seguintes áreas do conhecimento: Arquivologia; História; Biblioteconomia; Ciências Sociais; Comunicação Social; Tecnologia da Informação; Movimentos Sociais; Direito; Administração Pública; Psicologia, Serviço Social e Saúde do Trabalho; Segurança do Trabalho; Patrimônios Material e Imaterial. A Revista Acesso Livre não cobra taxas para submissão, processamento e publicação dos artigos.

Haverá, a cada edição, uma proposta temática que deverá ser seguida pelos autores dos textos. Colaborações livres também serão aceitas e submetidas à avaliação do conselho editorial, segundo critérios preestabelecidos. Aos editores se reserva o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Processo de avaliação

A avaliação dos artigos acontece em duas etapas:

1) Os editores avaliam a adequação do trabalho à linha editorial do periódico.

2) Os textos recebidos são avaliados no sistema double blind review (avaliação por pares cega) por, pelo menos, dois pareceristas do Conselho Consultivo, que decidirão, com base em critérios científicos, sobre sua publicação ou não. O Conselho Consultivo poderá sugerir ao autor modificações de estrutura ou de conteúdo. Caso necessário, os editores podem selecionar um parecerista não integrante do Conselho Consultivo da revista (ad hoc), observando-se a titulação mínima de doutor. Os autores receberão, individualmente, o resultado do parecer.

Direitos autorais

Os autores concedem à revista o direito de publicar o seu trabalho pela primeira vez sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND), que permite o intercâmbio de obras, com reconhecimento obrigatório da autoria e publicação inicial nesta revista, sob a mesma licença e para fins não comerciais. Os conceitos emitidos em artigos assinados são de absoluta e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Política de privacidade

Os nomes e contatos submetidos à Acesso Livre serão usados exclusivamente nos serviços prestados por esta publicação e não serão disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Diretrizes para os autores

Resumo/Abstract/Palavras-chave: Os resumos e abstracts devem ter entre 150 e 200 palavras. As palavras-chave e keywords (no caso da Acesso Livre, até três) devem ser representativas do conteúdo do documento, escolhidas, preferentemente, em vocabulário controlado.

Resenhas: As resenhas (textos que apresentem uma apreciação crítica de livros, teses, CD sonoro, CD-ROM, produtos de hipermídia etc.) devem ter título próprio (diferente do título do trabalho resenhado), seguido por Resumo, Palavras-chave, Abstract (em inglês) e Keywords (em inglês). Precisam trazer as referências completas do trabalho resenhado, de acordo com o objeto (título, subtítulo, editora/produtora, instituição etc.).

Traduções: Devem fornecer as informações técnicas essenciais do texto traduzido (artigos, ensaios e entrevistas), como as edições em que os tradutores se basearam, as diferenças entre as mesmas e a versão comentada, os avanços ou retrocessos dessa em relação às outras etc. Traduções de autores vivos devem apresentar a autorização expressa dos mesmos e/ou a de seus editores. Traduções de autores clássicos, sobretudo de textos raros, em processo de estabelecimento e/ou não mais publicados, devem apresentar autorização dos responsáveis e/ou comprovação de sua entrada em domínio público.

Idioma: Serão aceitos trabalhos redigidos em português, inglês ou espanhol. Textos escritos em outros idiomas deverão ser traduzidos ao português.

Envio: Os trabalhos deverão ser enviados unicamente por e-mail para o endereço: revista.acessolivre@gmail.com.

Prazo: A submissão de textos deverá ser realizada, impreterivelmente, até o prazo estipulado nos editais de chamada de artigos da revista Acesso Livre disponíveis em https://revistaacessolivre.wordpress.com e na página da associação no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Assan-Associação-dos-Servidores-do-Arquivo-Nacional/427426897297530.

Formato e identificação: Os arquivos deverão ser enviados em formato Word for Windows (.doc) ou compatível, contendo os dados de identificação do autor (nome, titulação, função e/ou cargo, instituição, endereço eletrônico).

Número de páginas: Artigos e ensaios devem ter entre 6 e 15 páginas; entrevistas e resenhas, de 3 a 5 páginas (inclusas figuras e fotos, bem como o texto de apresentação pessoal dos autores). As referências bibliográficas devem estar contidas no número máximo de páginas.

Dimensões e cores: Os textos devem ser digitados em folha A4, cor preta, devendo ser utilizado o padrão colorido ou preto e branco para as ilustrações.

Margens: Margens superior e inferior de 3 cm, margens esquerda e direita de 2 cm.

Fonte: Deve-se utilizar a fonte Times New Roman, tamanho 12, para todo o trabalho, excetuando-se citações com mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, dados internacionais de catalogação na publicação, legendas e fontes das ilustrações e das tabelas, que devem ser em tamanho menor e uniforme.

Espaçamento: Todo texto deve ser digitado com espaçamento 1,5 entre as linhas, excetuando-se as notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas, que devem ser digitados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco.

Citações: Todas as citações textuais que excederem três linhas deverão ser destacadas do corpo do texto sem aspas, da seguinte maneira: fonte Times New Roman 11, espaçamento 1,5 e recuo de 4 cm. As citações não devem vir em itálico, negrito ou sublinhado, com a exceção para trechos destacados pelo autor. Cada citação bibliográfica deve estar no modelo americano (AUTOR, ano da publicação e nº de página).

Notas de rodapé: As notas de rodapé, caso haja, devem ser apenas explicativas, em fonte tamanho 10, numeradas com cardinais.

Siglas: A sigla, quando mencionada pela primeira vez no texto, deve ser indicada entre parênteses, precedida do nome completo.

Ilustrações: Devem seguir o padrão preto (e seus matizes) e branco. Qualquer que seja o tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (desenho, esquema, fluxograma, fotografia, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, retrato, figura, imagem, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere. A obtenção de permissão para reprodução de ilustrações é de responsabilidade do autor.

Tabelas: Devem ser citadas no texto, inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem e padronizadas conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Referências bibliográficas: Devem vir ao final do texto. Exemplos:

Livros

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Referência com autor desconhecido

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação ‒ apresentação. Rio de Janeiro, 2001.

Capítulo de livro e/ou artigo de coletânea

JANCSÓ, István; PIMENTA, João Paulo. Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira). In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500-2000). 2. ed. São Paulo: Senac, 2000.

Teses, dissertações e monografias

SOUSA, Antônio Cícero. Cinema e política: o anticomunismo nos filmes sobre a Guerra Fria (1948-1969). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2002.

Artigos e/ou matérias de revista e jornal

FRAGOSO, João. Afogando em nomes: temas e experiências em história econômica. Topoi: Revista de História do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, Rio de Janeiro, n. 5, p. 41-70, set. 2002.

FABRIS, Mariarosaria. O cinema brasileiro ainda dialoga com o neorrealismo? Gazeta Mercantil, São Paulo, 12 jan. 2007, p. 7.

Livros online

LACAN, Jacques. O estado do espelho como formação da função do Eu. Disponível em: <http://www.bsfreud.com/jlestadioespelho.html&gt;. Acesso em: 12 set. 2012.

Trabalhos apresentados em congressos, seminários etc.

FRANCO, Antônio. A imprensa e a Europa 92. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE JORNALISMO, 2., 1989, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: IBM do Brasil, 1990. p. 10-35.